Posts Tagged 'romance'

Moço Bonito…

 

Hoje vou sonhar que tenho o melhor trabalho do mundo, um bom apartamento com varanda e uma vista linda, um fusca branco com estofado rosa, uma casa na montanha, um labrador, um filho e um amor “come what may“.

Hoje vou sonhar com o dia em que você apareceu sem avisar e foi tomando conta do meu mundo aos poucos, me deixando viciada no seu cheiro e no som da sua voz. Conversamos sem que nunca nos faltasse assunto e você, como ninguém, soube a hora exata e a forma certa de me fazer calar.

Hoje vou sonhar com aquele frio na barriga no dia em que você me disse que sou encantadora e que tenho qualidades difíceis de se achar numa mulher. O mais engraçado foi que, ao ouvir, tive medo do que estava por vir… imagina… como alguém pode sentir medo em momentos assim?

Hoje vou sonhar com as flores que você mandou e com aquele passeio no parque. O cheiro do orvalho no mato, o banho de chuva, a música boa e o quarto de hotel. Ah, sim… tem também aquele vinho delicioso que você trouxe de viagem, só porque sabe que eu amo tomar uma taça de vinho no inverno, grudada em você, embaixo do edredon, ao lado da lareira.

Hoje eu vou sonhar com suas mãos acariciando meu rosto, seus dedos passando de leve pelos meus cabelos e me segurando firme logo em seguida. Vou sonhar com seus olhos verdes, seu sorriso lindo e seu melhor beijo.

Hoje vou sonhar… até o dia em que você chegar.

Anúncios

A garota que lê…

Três. O número perfeito. A tríade sagrada. Uma fantasia profana. A quantidade de livros que estou lendo ao mesmo tempo.

Confesso estar longe de ser a mulher mais culta da face da terra, mas tenho fases em que me alimento de livros. Se deixar, passo horas em uma livraria e nunca saio de lá com as mãos vazias. Li os quatro volumes de “As Brumas de Avalon” em uma semana. Engoli “O Código Da Vinci” em três dias. De Paulo Coelho à Nietzsche, leio de tudo um pouco, sem preconceito, ainda que eu não chegue ao final por não gostar. Achei “O Caçador de Pipas” tão chato quanto “Chatô”, por exemplo. Jane Austen é “mulherzinha demais” pra mim. Nos últimos tempos, tenho trabalhado no limite da overdose: um best-seller belo e triste ao longo do dia, um pouco de um romance inglês do século XX após o almoço e poemas eróticos antes de dormir. Aliás… Drummond, que surpresa boa!

Adaptado pela Gabi e postado também pela Beta há cerca de duas semanas, o texto abaixo é um daqueles que a gente se vê quase obrigada a divulgar quando se identifica. Reproduzo-o aqui, compartilhando meu prazer com vocês.

******************************

Namore uma garota que lê

(De Rosemary Urquico. Tradução e Adaptação de Gabriela Ventura)

Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.

Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criador pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café.
Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gostaria ou gostaria de ser a Alice.

É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, Cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas  garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim.  E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até  porque, durante algum tempo, são mesmo.

Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.

Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que  pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve.

Texto original: Date a girl who reads – Rosemary Urquico


Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 5.438 outros seguidores

Renata Celidonio

Desculpem os transtornos... estamos em reforma para melhor atendê-los! ;)

Você vai me seguir…

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Destinos mais visitados…

Binóculo...

  • 32,037 visualizações

Por onde andei…

Passagem marcada…

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« ago    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031